Luz nos espaços corporativos.

Detalhe de um escritório projetado pela PITÁ Arquitetura.

Detalhe de um escritório projetado pela PITÁ Arquitetura.

Estamos mudando a forma de trabalhar e isso está se refletindo nos espaços. As paredes se foram junto com a forma individual e sistemática de trabalho. Para o modelo de trabalho atual precisamos de Luz. Luz para criatividade fluir e criarmos novos processos e projetos. Luz natural que permeia os novos espaços corporativos.

A planta aberta nos permite uma maior interação pessoal e também maior interação com o ambiente externo ampliando o horizonte e proporcionando mais conforto e bem-estar.

Além da nova forma de projetar, na área de iluminação, a descoberta de fotorreceptores na retina confirmou a influência da luz no organismo humano e possibilitou uma nova reflexão a respeito da forma que usamos a luz. Essa linha de pesquisa chamada de Human Centric Lighting coloca o homem e as necessidades fisiológicas como principal partido de projeto.

No ambiente corporativo essa linha de pesquisa se traduziu em novas tecnologias para melhorar o conforto das pessoas. As tecnologias em Led e a integração da iluminação com automação permite criarmos espaços onde a temperatura de cor da luz pode variar, se assemelhando a luz natural. Um grande avanço quando pensamos nos antigos escritórios com luz azulada. Outro recurso são os sensores que detectam a luz natural que entra pelas grandes paredes de vidro e equalizam a quantidade de luz reduzindo consumo e melhorando o conforto do usuário. As persianas também são controladas pelos sensores permitem a luz natural entrar nos horários adequados e bloqueiam quando a luz direta está incidindo nas mesas de trabalho, o que gera um grande desconforto. Esses recursos tornam o ambiente mais dinâmico e ampliam a sensação de bem-estar.

Área colaborativa do Banco ING.

Área colaborativa do Banco ING.

Além da tecnologia os novos projetos de iluminação também agregam valor a arquitetura. A velha solução de iluminação ortogonal em forros modulares já não cabe mais nos novos projetos. O desafio atual é iluminar da forma técnica adequada, mas não antiquada e quadrada. Luz, sombra e efeitos agora são bem-vindos, desde que bem solucionados. O forro também não está presente em todos as áreas e boas soluções de acústica e luminotécnica compõe em conjunto com a arquitetura a nova estética dos projetos.

Livance Consultórios.

Livance Consultórios.

A luz corporativa mudou, redução de consumo, preocupação com a saúde, estética diferenciada, novos conceitos, novas tecnologias. Nossos projetos estão alinhados com essa nova forma de iluminar, a luz sendo usada para melhorar a qualidade das experiências nos novos escritórios.

Juliana Loss Vicenzi